Grupo Keralty no Fevereiro Laranja

Campanha do Grupo Keralty reforça importância da doação de medula óssea

No “Fevereiro Laranja”, mês de conscientização sobre a leucemia, campanha chama atenção para aumento da doença e importância da doação de medula óssea

Os casos de câncer estão crescendo no Brasil. De acordo com dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), pelo menos 10 mil novos casos de leucemia serão diagnosticados em 2021. Só em Minas Gerais, a estimativa é de que 960 pessoas sejam diagnosticadas com a doença, um dos tipos de câncer no sangue mais agressivos. Conscientizar a sociedade sobre a leucemia é uma das metas da campanha Fevereiro Laranja. Para diminuir o impacto dessa realidade, o Grupo Keralty, que a operadora de saúde Vitallis faz parte, abraça a causa e promove várias ações internas de conscientização sobre a importância da doação de medula óssea para transplantes. 

Sem formas específicas para a prevenção, a leucemia tem o diagnóstico precoce e o monitoramento frequente da saúde como principais fatores para o sucesso do tratamento. “A campanha é muito bem-vinda, pois esclarece a população sobre o que é a leucemia e sobre os mitos que rondam a doença e os tratamentos disponíveis, incluindo o transplante”, alerta Thiago Neves, hematologista da Vitallis. Segundo o médico, a leucemia se caracteriza pela quebra do equilíbrio da produção dos elementos do sangue, causada pela proliferação descontrolada de células, e o tratamento difere de acordo com o tipo da doença.

“O transplante de medula óssea é indicado em casos de alto risco, sendo a única esperança de cura para milhares de portadores de leucemia. É uma terapia muito específica para doenças hematológicas graves. Infelizmente, temos poucas chances de encontrarmos doadores totalmente compatíveis, visto que a maior chance é entre irmãos. Por isso, é muito importante que as pessoas se conscientizem da possibilidade de serem doadoras”, explica Neves. “Para quem doa, é um procedimento relativamente simples e que pode salvar a vida de outra pessoa”, afirma. Mesmo assim, a população ainda tem muitas dúvidas e receios sobre o processo. Segundo o hematologista, a principal razão disso relaciona-se com os mitos criados em torno do processo de coleta da medula óssea. 

Ele destaca que a medula é extraída a partir de um processo de coleta em centro cirúrgico, sob anestesia, com toda segurança. “O doador pode sentir apenas um ligeiro desconforto”, explica. Para ser doador, basta comparecer a um hemocentro e realizar o cadastro, que será finalizado com a coleta de uma amostra de sangue, onde será avaliada a tipagem do doador. O cadastro ficará disponível no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome); quando houver algum paciente com medula compatível, o doador será chamado ao hemocentro para novos testes e, em caso de compatibilidade, haverá a coleta. 

A campanha do Grupo Keralty visa conscientizar seus colaboradores para a importância da doação, mas o alerta vale para toda a população. “Com as pessoas devidamente esclarecidas e orientadas, a possibilidade de conseguirmos possíveis doadores aumenta exponencialmente”, afirma Neves. Internamente, a operadora de planos de saúde iniciou uma campanha de e-mail marketing, incentivando o engajamento dos colaboradores na doação de medula óssea, por meio de vídeos e conteúdos explicativos que desmistificam os riscos do procedimento e ressaltam a importância do ato. O assunto ainda ganhou destaque em todas as unidades do grupo Keralty no veículo de comunicação interno da operadora de saúde.

Sobre a Vitallis

A Vitallis é uma operadora de planos de saúde de origem mineira, presente no mercado desde 1996, dedicada à prestação de serviços de saúde em que a pessoa é o centro das atenções. Possui mais de 360 mil clientes, 5 mil empresas prestadoras de serviços e profissionais de saúde. Atualmente, está em mais de 600 cidades no Brasil.

Em 2014, a Vitallis foi incorporada pelo grupo internacional Keralty. Com isso, a Vitallis passou a implementar o modelo diferenciado de saúde baseado em três eixos: sanitário, comunitário e social. O Grupo tem presença em sete países, com infraestrutura clínica, hospitalar e forte atuação social. Com mais de 40 anos de atuação, atende cerca de 4 milhões de clientes com 10 mil médicos, 78 centros médicos e nove hospitais.

Adicionar Comentários

Clique para comentar