Quartas de Improviso dá início a 13ª temporada

Realizado desde 2013, o Q.I., como é conhecido, mais uma edição e leva ao público artistas de diferentes linguagens para explorar o campo improvisatório sonoro a partir do contato com diversas manifestações da arte e do saber; este projeto é realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte

Música experimental concebida de forma ao vivo e improvisada, sem manipulação posterior de ruídos e nuances provenientes de diversas fontes sonoras em confluência com as mais diferentes manifestações artísticas. Essa é uma das percepções que podem ser atribuídas ao projeto Quartas de Improviso (Q.I.), criado em 2013 pelos músicos Henrique Iwao e Matthias Koole. No Q.I., não há preparação prévia para a criação musical. Além das improvisações, a iniciativa agrega inúmeras manifestações do fazer artístico e também do saber como forma de ampliar as experimentações a outros campos. A 13ª temporada do Q.I., a primeira realizada em ambiente online devido a pandemia da COVID-19, pode ser acessada no endereço qi.seminalrecords.org. Em contraposição às edições anteriores, desta vez os convidados não vinculados à música enviam um vídeo para ser absorvido pelos músicos participantes. O resultado desse encontro será veiculado semanalmente, de 21 de julho a 15 de setembro, sempre às quartas, na plataforma virtual da ação. A abertura desta edição conta com a musicista Thais Montanari e a artista plástica Camila Lacerda compondo o layout do programa. O músico e pesquisador Miguel Javaral promove no pós-apresentação a discotecagem do Boteco do Javaral, baseada na pesquisa de sonoridades, que busca na fronteira entre o experimental e a música popular articular um ambiente de diálogo, trocas e descobertas. Este projeto é realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. O evento é gratuito e conta com patrocínio do UniBH.

As apresentações, que sempre contam com os músicos idealizadores, vão reunir quinze nomes de diferentes áreas. “Nesta edição privilegiamos convidados não músicos que pudessem trabalhar, dentro de suas próprias linguagens, com a produção de vídeo, tendo em vista o caráter online deste ciclo”, explica o músico Matthias Koole. Para o idealizador do Q.I., o ambiente virtual cria um desafio, mas também agrega ao projeto uma nova forma de comunicação e permite um sentido diverso para a fruição da experiência estética entre os participantes. “Os músicos convidados permanecem improvisando como em qualquer outra edição. A diferença desta vez é que improvisaremos olhando para uma tela. Já improvisamos tendo a videoarte como referência, mas o contexto é diferente. Agora não estamos mais presentes no mesmo local, cada um irá perceber o outro a partir de seus próprios espaços e isso gera uma nova mediação para a música a ser concebida”, acrescenta Koole.

Oficina Mapeamento Sonoro, Poéticas & Técnicas, com Thelmo Cristovam

Datas: 4 de agosto a 8 de setembro (sempre às quarta-feira)

Horário: 20h

Local: qi.seminalrecords.org

Evento gratuito

Adicionar Comentários

Clique para comentar