Cliver Honorato realiza circulação do Show Indolente Malandragem em diferentes regiões da capital mineira

Para enriquecer ainda mais a experiência, cada apresentação contará com a participação de um artista convidado local. As apresentações serão gratuitas

 Cliver Honorato, músico que vem despontando no cenário da música independente autoral, realiza a circulação do Show Indolente Malandragem com Convidados, no mês de abril, em diferentes regiões de Belo Horizonte.  As apresentações acontecerão no dia no dia 20 de abril, no Centro Cultural Liberalino Alves, (Regional Noroeste); dia 27 de abril no Centro Cultural Bairro das Indústrias, localizado na região do Barreiro e no dia 11 de maio, no Centro Cultural Zilah Spósito, (Região Norte). 

Durante as apresentações, Cliver será acompanhado por Fillipe Glauss nas guitarras. Nesse trabalho, o artista apresenta faixas inéditas e autorais, explorando novos timbres e experimentações sonoras. O cerne temático do espetáculo “Indolente Malandragem” é profundamente enraizado nas opressões sociais contemporâneas que permeiam as grandes cidades. Por meio de sua música e performance, Cliver Honorato busca trazer à tona questões cruciais que afetam as comunidades urbanas e as pessoas que nelas vivem. 

“No contexto das grandes cidades, as opressões sociais podem assumir diversas formas, como desigualdade econômica, discriminação racial, marginalização de grupos sociais, gentrificação, violência urbana e alienação. Essas questões complexas são abordadas e exploradas no espetáculo de Cliver, criando um espaço de reflexão e conscientização”, explica 

Ao trazer essa temática para o centro do show, Cliver Honorato busca despertar a consciência do público para os desafios enfrentados pelas comunidades urbanas e destacar a importância de uma sociedade mais justa e inclusiva. Ele acredita que a música e a performance se tornam ferramentas poderosas para transmitir mensagens e gerar empatia, permitindo que o público se conecte emocionalmente com as narrativas e experiências compartilhadas.

Artistas convidados – Para enriquecer ainda mais a experiência, cada regional contará com a participação de um artista convidado. Entre eles estão o compositor, cantor e violonista Júlio Marotta, o cantor e violonista Edimar Boaventura e a poetisa e slammer Xiatitia. Os convidados são artistas locais atuantes nas regionais onde estão localizados os Centros Culturais que realizarão as apresentações. A inclusão de artistas convidados da periferia nas apresentações do projeto amplia a representatividade e valoriza as expressões artísticas locais. Isso fortalece a identificação do público, proporciona visibilidade e oportunidades de carreira para os artistas periféricos, além de enriquecer a diversidade cultural do espetáculo.

O show “Indolente Malandragem” com artistas convidados atuantes em distintas regionais da capital mira conectar o trabalho de Cliver com outros trabalhos independentes de BH. O projeto também busca compartilhar espaços e oportunidades para esses talentos, além de indiretamente contribuir para a divulgação, o reconhecimento e o fortalecimento do trabalho desses artistas.

Esse fortalecimento abre portas para outras demandas de apresentações, criando um ciclo de sustentabilidade profissional. Os artistas terão maiores chances de expandir seu alcance, ganhar reconhecimento e ampliar suas possibilidades de trabalho, contribuindo para a diversidade e a riqueza cultural da cena independente.

É importante destacar também que essa circulação possibilitará trocas entre artistas das diferentes regiões da cidade, ao promover shows e encontros musicais que dialoguem com a diversidade artística regional de Belo Horizonte. Essas trocas permitirão que Cliver acesse novos públicos, ao passo que seu público cativo também terá a oportunidade de conhecer outros artistas independentes dispostos a compartilharem sua produção musical. Essas trocas não se restringem apenas ao público, pois os artistas também terão a chance de enriquecer mutuamente suas experiências durante a realização desses eventos. 

Além das apresentações nos centros culturais, o projeto também prevê um show de encerramento em data ainda a ser divulgada que contará com a participação dos três artistas locais de cada regional. Durante essa apresentação especial será gravada em áudio e audiovisual e será distribuída tanto na íntegra quanto faixa a faixa digitalmente nas principais plataformas de música e vídeo, como YouTube, Spotify, Deezer, iTunes, entre outras.

Quem é Cliver Honorato – O músico gravou recentemente seu segundo álbum e carrega em sua bagagem vasta experiência profissional em teatros, casas noturnas, festivais e centros culturais na capital mineira, pelo Brasil e recentemente passagens por palcos internacionais.  Cliver Honorato é um artista que ao longo dos anos se dedicou a aprimorar suas habilidades musicais, buscando sua profissionalização. Com o apoio da Fundação de Educação Artística e sua formação em Música na Universidade Estadual de Minas Gerais, ele estabeleceu sua presença no circuito musical de Belo Horizonte. 

Em um marco significativo de sua carreira, Cliver lançou seu primeiro álbum autoral e independente em 2017. Este seu primeiro álbum recebeu elogios da crítica local e abriu portas para sua participação nas programações de casas de shows e tradicionais festivais. 

Em 2022, com recursos derivados da Lei Aldir Blanc, Cliver lançou seu segundo álbum, “Indolente Malandragem”, proporcionando um salto qualitativo e quantitativo em seu trabalho. O apoio financeiro possibilitou a contratação de profissionais especializados, gravação, mixagem, produção e divulgação, além de colaborações com outros músicos. O álbum obteve uma recepção ainda mais positiva nas redes sociais, plataformas de streamings e na crítica especializada.

Quem é Edimar Boaventura – Nascido e criado em Belo Horizonte, Edimar Boaventura foi introduzido no mundo da música desde muito jovem, influenciado pela rica tradição musical de sua família. Seu pai, Valdemar Boaventura, um virtuoso violonista seresteiro, e sua mãe, Maria dos Anjos Boaventura, dotada de uma voz cativante, foram suas primeiras fontes de inspiração. Durante seus anos escolares, Edimar explorou sua paixão pela música, iniciando sua jornada com a flauta doce e, posteriormente, descobrindo sua verdadeira vocação no violão, instrumento que o acompanha até os dias atuais.

Edimar não apenas domina o violão, mas também é dono de uma voz envolvente e marcante. Reconhecido por seu timbre grave e suave, o artista cativa o público com performances que habilmente combinam voz e instrumento, criando momentos musicais verdadeiramente emocionantes. Ao longo dos anos, Edimar destacou-se em uma variedade de festivais de música, onde teve a oportunidade de demonstrar seu talento musical.

Quem é Xiatitia – Multi-artista, arte educadora e Slammer. A artivista é também a primeira campeã do Trans Slam Internacional (competição de poesia falada) que aconteceu no Morro da Providência no Rio de Janeiro em 2023. Iniciou sua trajetória artística através das Batalhas de MC’s da cultura Hip Hop sendo competidora das batalhas. Foi organizadora da “Batalha do Zilah” no ano de 2016, além de puxar saraus, batalhas e oficinas no território em que foi criada, entre 2016 e 2019. A mesma viveu sua infância e adolescência no conjunto Zilah Spósito, extremo norte de BH. Atualmente vive na Zona Oeste, na Cabana do Pai Tomás e transita com sua arte de forma plural e construtiva por todo o país, com intuito de levar suas escrivivências a todos da favela ao asfalto sem papo de higienismo social.

Quem é  Júlio Marotta -Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, o cantor e compositor Júlio Marotta revela, através de sua obra, seu olhar sensível e profundo sobre a canção e suas possibilidades musicais e poéticas. Com um EP, dois singles e um álbum lançados, o artista transita entre diferentes gêneros musicais em uma mistura que revela sua diversidade de influências, passando pelo rock e folk music, mas também pela MPB, e com o sotaque inconfundível da música das Minas Gerais. 

 O EP “As Rodas do Tempo”, lançado em 12 de setembro de 2018 é composto de quatro composições do próprio artista e promove um encontro entre a poesia e a música. O single duplo “O Senhor dos Ventos/Pelo Espelho (ou 3096 dias)”, lançado em junho de 2020 pelo selo Loop Discos, traz uma sonoridade  profundamente influenciada pelo rock dos anos 70 e 80. Gravado em 2013, o lançamento tardio acontece a partir de Lisboa, Portugal, onde Júlio Marotta permaneceu por 4 anos.  La Júlio lança em 2022 seu primeiro álbum cheio, o autointitulado “Júlio Marotta”.  Após 4 anos em Lisboa, o artista volta a Belo Horizonte, onde tem se apresentado em bares, casas de shows e teatros pela cidade. Em 2024, estreou junto ao compositor e músico Victor Terayama o concerto “Companhia”, com casa cheia no Teatro de Bolso Sesiminas.

Circulação do Show Indolente Malandragem com convidados

Dia: 20/04/2024 –  Centro Cultural Liberalino Alves (Rua Formiga, 140 – Lagoinha) às 15h

Dia 27/04 – Centro Cultural Bairro das Indústrias, (Rua dos Industriários, 289, – B. Indústrias, Barreiro) às 15h.

Dia 11/05 –  Centro Cultural Zilah Spósito, (Rua Carnaúba, 286 –  Zilah Sposito, BH) às 11h30

A entrada é gratuita

Adicionar Comentários

Clique para comentar