Festival Gosto da Amazônia – Edição Belo Horizonte 25/03 a 10/04

Omilía é um dos restaurantes de BH selecionado para o Festival Gosto da Amazônia

Depois de passar por Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, o Festival Gosto da Amazônia chega pela primeira vez à capital mineira. A proposta do circuito, que por aqui acontece entre 25 de março e 10 de abril, em quase 50 restaurantes renomados da cidade, é permitir que o público experimente as mais diversas receitas preparadas com o pirarucu selvagem de manejo, o maior peixe de escamas de água doce do mundo.

O chef Gabriel Trillo, que já tem como essência de seu trabalho a busca por uma alta gastronomia mineira não ancorada apenas em técnicas e demasiadamente ‘gourmetizada’ mas que, sobretudo valorize os pequenos produtores mineiros, os alimentos frescos, produtos de qualidade e, principalmente o sabor dos pratos, estreia no ‘Gosto da Amazônia’ com o Pirarucu grelhado, acompanhado de farofa de castanhas, salada de feijão branco com legumes parrilleros, purê de acerola e aioli de pimentão vermelho.

Fotos dos pratos em anexo.

O crédito das imagens é de Daphne Carvalho.

Atenciosamente,

 Daniel de AndradeAssessor de Imprensa31 9 8500.1358
www.agendacomunicacao.com R. Sen. Milton Campos, 26 – Sala 110 – Vila da Serra, Nova Lima
 ……………………………………………………………………………..
 

Omilía é um dos restaurantes de BH selecionado para o Festival Gosto da Amazônia

Evento gastronômico, que acontece em 48 restaurantes de BH entre 25 de março e 10 de abril, coloca o pirarucu selvagem de manejo, maior peixe de escamas de água doce do mundo, como protagonista dos pratos

         O Omilía é um dos 48 restaurantes de Belo Horizonte que participa do ‘Festival Gosto da Amazônia’, evento gastronômico que, depois de passar por Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, chega pela primeira vez à capital mineira. A proposta do circuito, que por aqui acontece entre 25 de março e 10 de abril, é permitir que o público experimente as mais diversas receitas preparadas com o pirarucu selvagem de manejo, o maior peixe de escamas de água doce do mundo. A ideia é divulgar e incentivar o consumo da iguaria, cada vez mais valorizada na gastronomia, além de gerar renda para as comunidades ribeirinhas e indígenas que contribuem para a conservação de mais de 11 milhões de hectares da floresta Amazônica, vigiados ao longo de todo o ano para que não haja pesca predatória nem devastação do ambiente.

         O chef Gabriel Trillo, que já tem como essência de seu trabalho a busca por uma alta gastronomia mineira não ancorada apenas em técnicas e demasiadamente ‘gourmetizada’ mas que, sobretudo valorize os pequenos produtores mineiros, os alimentos frescos, produtos de qualidade e, principalmente o sabor dos pratos, estreia no ‘Gosto da Amazônia’ com o Pirarucu grelhado, acompanhado de farofa de castanhas, salada de feijão branco com legumes parrilleros, purê de acerola e aioli de pimentão vermelho. “A região Norte do país reúne ingredientes ímpares e ricos. São um prato cheio de possibilidades para qualquer chef curioso e minimamente criativo. Ela, por sinal, tem muitas similaridades com o mosaico de sabores que fazem parte da nossa culinária mineira. Então, como gosto de trabalhar com sabores e combinações não muito difundidas, transformando aquilo que parece ser exótico em simples e saboroso, participar desse festival é, sem dúvida, um momento de deliciosa experimentação.”

Sobre o Omilía

         O chef Gabriel Trillo, que começou a carreira estagiando com ninguém menos que o renomado Alex Atala (D.O.M), além de passar por restaurantes de peso em BH, como a cozinha do Hotel Ouro Minas, resolveu combinar duas coisas que os mineiros sabem fazer de melhor: cozinhar e prosear. Há seis anos, inaugurou seu primeiro restaurante, o Omilía, no Vila da Serra, em Nova Lima. A palavra, de origem grega, significa conversar.

         Mesclando técnicas da culinária mineira e da cozinha internacional, ele oferece alta gastronomia focada na riqueza e versatilidade dos ingredientes mineiros, todos vindos de pequenos produtores de diversas regiões do Estado. Dessa forma, consegue se amparar no tripé, que acredita ser fundamental para encantar o cliente e conceber refeições saborosas: alimentos frescos, produtos de qualidade e técnicas de preparo.

         No cardápio, os comensais encontram uma variedade de preciosidades dos nossos fogões, desde frutas vermelhas de Campestre ao café de Campos Altos, passando pelo requeijão moreno de Sabinópolis, à castanha de baru, de Pirapora, no norte de Minas, além da carne de sol de Montes Claros, jabuticaba de Sabará, e queijo canastra da Serra da Canastra.

         Entre os destaques do menu do Omilía, está a Tilápia na farinha de pão de queijo, produção própria da casa; Maminha bovina confitada, aligot de batata com queijo Canastra e farofa de torresmo; e o Camembert ao Forno, que leva também castanha de baru caramelizada, mel de aroeira do Jequitinhonha e cesto de pães artesanais.

Quando: 25 de março a 10 de abril

Para conhecer as casas participantes e seus pratos, basta acessar https://gostodaamazonia.com.br/festival/