Dotart Galeria apresenta exposição Chassis com obras de André Azevedo

ABERTURA SERÁ NOS DIAS 15 E 16 DE MARÇO, COM VISITAS GUIADAS PELO ARTISTA E A MOSTRA SEGUE ATÉ O DIA 4 DE JUNHO

A dotART galeria abre a programação de 2022 com a exposição “Chassis” que apresenta à capital mineira o artista curitibano André Azevedo. Com cerca de 20 obras que , a mostra individual será lançada com visitas guiadas pelo artista, nos dias 15 e 16 de março, e fica disponível para visitação gratuita até 4 de junho. 

A exposição apresenta um conjunto de trabalhos inéditos e ressalta a dimensão pictórica e escultórica da obra de arte têxtil. O título “Chassis” é referente ao suporte tradicional da pintura, a estrutura à qual o tecido da tela se estica. As obras dialogam diretamente com essa estrutura, por vezes tensionada sobre ela e por outras operando em fuga.

Foram selecionadas duas séries para a mostra: Captonês e Macrocélulas. André Azevedo articulou a composição das obras pensando no espaço em branco da galeria e mais da metade das obras apresentadas foram realizadas especialmente para esta mostra. “A cor branca será predominante no andar inferior, em diálogo com a iluminação fria do piso térreo e no segundo andar exploraremos uma cartela de cores fortes. O material primário escolhido foi o tecido de tela preparada com base de gesso e o linho. Aplicada sobre eles, nas obras coloridas, uma têmpera vinílica pigmentada com corantes têxteis e por vezes tinta óleo”, detalha o artista.

Wilson Lazaro, diretor artístico da galeria, explica que o cenário da arte está mudando e até a forma de apresentar os artistas, que não se encaixam em determinadas escolas ou movimentos, como é o caso de quem trabalha com tecido. Em 2022, as exposições da DotART vão seguir um caminho que vai além da obra, mas também ressaltando o fazer artístico. “São mostras que o artista tem algo a dizer muito além da obra, há uma mensagem envolvida. Esse é o novo mercado de arte, que está mais agressivo e antenado, mas também está mais lúdico e acolhedor. Vemos que esse movimento do fazer na arte atual está abrindo novas portas para as escolas de arte e movimentos que antes eram colocados de lado e é isso que veremos aqui na galeria neste ano”, destaca. 

Sobre seu processo criativo, o artista explica que uma obra de arte têxtil pode transitar em diferentes linguagens. “Ela é pintura, pela sua capacidade de organizar nos planos as cores e as formas. É escultura pois o tecido possui sua própria topografia e se projeta, assim como os objetos escultóricos, mas também é poesia, pois suas máquinas – as máquinas têxteis no caso – organizam o som no tempo conforme as rimas de um poema.  Partindo dessa observação eu me coloco a pesquisar a arte têxtil não só a partir das materialidades, mas também a respeito de todos os conceitos que ela envolve”, ressalta.

Lazaro considera que o trabalho realizado por André Azevedo é uma trama. “Ao longo da exposição, as obras envolvem o espectador, acolhem. São obras vivas que, de certa forma, abraçam. Acredito que esse é o caminho atual da arte”. 

Exposição Chassis – André Azevedo

Abertura: 15 e 16 de março, com visitas guiadas e conversas com o artista das 11h às 12h e das 15h às 16h 

Visitação: de 15 de março a 4 de junho.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 18h | sábado, das 10h às 13h

Local: dotART galeria (rua Bernardo Guimarães, 911, Savassi, Belo Horizonte)

Entrada gratuita

Informações: (31) 3261-3910

https://www.instagram.com/galeriadotart/