Cia Pierrot Lunar promove a 1ª edição do Teatro na Tela – 16 á 27/06

Pioneira em experiências com o digital, na pandemia, a companhia teatral, com quase 30 anos de trajetória, promove uma mostra com cenas inéditas ou adaptadas para Youtube e Instagram – realizadas ao vivo, por artistas de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e cidades do interior de Minas. Para a abertura está marcado bate-papo com nomes nacionais que têm feito experimentos teatrais no campo digital, como Yara de Novaes (SP – Companhia dos 3), Eduardo Moreira (MG – Grupo Galpão), Giordano Castro (PE – Magiluth) e Ivam Cabral (SP – Satyros) 

Cia Pierrot Lunar lança a mostra “Teatro na Tela”, evento online, idealizado pela trupe, que traz de 16 a 22 de junho experimentações de artistas da cena brasileira em teatro digital. São doze criações – obras inéditas e adaptadas para o Youtube. As transmissões são diárias, em horários variados, ao vivo, no Youtube e Instagram da Cia Pierrot LunarNa abertura (16), quarta-feira, tem bate-papo, a partir das 19h, com alguns artistas brasileiros que vêm realizando experimentos digitais como Yara de Novaes (SP – Companhia dos Três)Eduardo Moreira (MG – Grupo Galpão), Giordano Castro (PE – Magiluth) e Ivam Cabral (SP – Satyros).

A mostra Teatro na Tela traz 12 criações inéditas com temáticas diversas, como questões raciais e de identidade, além de discussões sobre crimes ambientais (barragens), sobre imigração e sobre os desafios da comunicação em tempos digitais, as relações humanas e subjetividades em contexto de pandemia etc. As obras estão divididas nas seguintes categorias: “Na Tela”, “Tela a Tela” e “Palco na Tela”.

A categoria “Na Tela” prevê seis espetáculos de até 15 minutos, inéditos ou não, com dois ou mais atores que convivam no mesmo ambiente/casa, com transmissão, ao vivo, pelo Instagram do Espaço Aberto Pierrot Lunar, utilizando apenas uma tela que ficará disponível no IGTV e no Canal do Youtube, enquanto durar o evento. Os artistas terão apoio técnico remoto para dúvidas e testes de transmissão. Nesta categoria serão apresentadas: In Cômodo ou o que temos pra hoje? (Zula Cia de Teatro – Belo Horizonte/MG), desCOnVID-me (Mariana Azevedo Produções – Carbonita/MG), Assurubyn (Belo Horizonte/MG), O Livro dos Abraços (Aviva Produções – Rio de Janeiro/RJ), Sal (Grupo de Dois – Belo Horizonte/MG) e Pocket Showzaças– Show de Palhaças (Minha Companhia – Belo Horizonte/MG).

Já “Tela a Tela” reúne três espetáculos de até 30 minutos, inéditos ou não, em que os artistas estão localizados em ambientes/casas diferentes, contracenando cada um de sua tela. A transmissão será ao vivo, no Youtube da Cia Pierrot Lunar, e ficará disponível no canal até o final da mostra. “Tanto para a categoria ‘Tela a Tela’ quanto para ‘Na Tela’, vamos deixar as transmissões rolando em tempo real após as apresentações, cerca de 5 minutos para uma breve interação com o público, pelo chat da plataforma”, explica a atriz e fundadora da companhia, Neise Neves. Foram selecionadas: MPR – Mulheres Poetizando a Resistência (Grupo de Teatro Morro Encena –  Belo Horizonte/MG), Porco Solidão (Belo Horizonte/Viçosa/MG) e Projeto Selvageria (Coletivo Sala Vazia – Belo Horizonte/MG).

O “Palco na Tela” prevê três espetáculos teatrais que foram concebidos originalmente para o palco e gravados em período anterior à pandemia, no teatro, na rua ou em espaço alternativo, com público presencial. As obras serão transmitidas pelo canal da Cia Pierrot Lunar, no Youtube, e permanecem disponíveis no canal de transmissão até o final do evento. Para esta categoria foram selecionadas: Desmonte (Grupo Girino –  Belo Horizonte/MG), E se todas se chamassem Carmen? (Breve Cia. – Belo Horizonte/MG) e Refugium ou enraizamento no voo? (Ana Gabi – São Paulo/SP)

Todas as obras transmitidas, ao vivo, durante o evento, ficarão com suas gravações disponíveis até o final da mostra, em versão legendada no Youtube. No encerramento, haverá um bate-papo ao vivo, com os artistas participantes, no dia 22 de junho, a partir das 19h.

Durante o evento, ficará disponível ainda no Youtube da Companhia, um terceiro bate-papo gravado, sobre Ferramentas para o Teatro na Tela – novas técnicas no teatro, em tempos digitais.  Ao longo da programação, o público também acompanha o “Olhares”, breves resenhas com Bremmer Bram ma e jornalistas convidadas, sobre as obras da mostra, que serão disponibilizadas no Youtube e Instagram, em formato de pílulas de vídeo.

Este projeto é realizado com recursos da Lei Aldir Blanc 2020, pelo edital número 16, da Secretaria Estadual de Cultura de Minas Gerais.