Solo – Álbum das glórias musicais 30/10

ARTISTA PLÁSTICO GENIN GUERRA LANÇA SEU PRIMEIRO LIVRO

“SOLO – ÁLBUM DAS GLÓRIAS MUSCAIS” NO DIA 30 DE OUTUBRO

A OBRA RETRATA AS TRÊS PAIXÕES DO ITABIRANO: ESCULTURA, CARICATURA E MÚSICA, PARA HOMENAGEAR GRANDES NOMES DA MÚSICA BRASILEIRA

O artista plástico mineiro Luiz Eugênio Quintão Guerra, ou apenas Genin Guerra, soma 40 anos de carreira e várias linguagens artísticas como cartum, charge, caricatura, escultura e ilustrações diversas. Ao longo dos últimos dez anos, dedicou-se ao trabalho em cerâmica, retratando compositores brasileiros da música popular. O resultado desse trabalho está impresso em seu primeiro livro, intitulado “Solo – Álbum das glórias musicais”, que será lançado no dia 30 de outubro, às 20h, por meio de uma live no canal do YouTube da Casa Outono.

O momento vai contar com a apresentação da jornalista Malluh Praxedes e participação especial de Danuza Menezes com o grupo Pandeiro Mineiro. Na ocasião serão sorteados dois exemplares da publicação. O projeto é realizado graças ao patrocínio da Cemig, obtido por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

O livro reúne três grandes paixões do artista: escultura, caricatura e música. “A minha ideia não foi só homenagear estes personagens, mas, também, registrar e reviver toda a riqueza, criatividade, diversidade e identidade cultural da nossa música. Tento dar uma nova leitura, fazendo as caricaturas em 3D, usando a cerâmica”, comenta Guerra. Entre os retratados estão nomes como: Ary Barroso, Pixinguinha, Noel, Villa-Lobos, Chiquinha Gonzaga, Tom Jobim da geração mais velha, além de Milton Nascimento, Chico Buarque, Caetano, Egberto Gismonti, Itamar Assumpção e João Bosco, já consagrados há muitos anos e ainda em plena atividade. Para ele, resgatar estes personagens e suas trajetórias é uma forma de eternizar momentos, imagens e a história brasileira.

O título da obra, além de fazer alusão a terra/chão significa algo tocado ou cantado por um só artista. “Apesar do nome ‘Solo’, é um livro feito por muitas mãos e foi gratificante contar com colaboradores tão especiais que deram novos significados ao projeto”, afirma o artista. Para criação dos perfis literários sobre cada homenageado, que estão no livro, o escultor contou com ampla participação de artistas e intelectuais, na sua grande maioria mineiros, que desenvolveram textos ilustrativos das obras em cerâmica.

Lançamento do livro “Solo – Álbum das glórias musicais”, de Genin Guerra

Data: 30 de outubro

Horário: 20h

Canal: YouTube da Casa Outono

https://www.youtube.com/channel/UCXsuh71Myym1MmTNJTy9ayQ

Sobre Genin Guerra:

Genin Guerra (Luiz Eugênio Quintão Guerra) nasceu em Itabira (MG), em 9 de janeiro de 1959. Sua primeira experiência profissional com o desenho foi em 1979, no jornal alternativo O Cometa Itabirano, no qual esteve desde a fundação, fazendo cartum, charges, caricaturas e ilustrações diversas.

Cursou a Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (entre 1980 e 1986), paralelamente ao curso de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Foi editor de arte do jornal Diário do Comércio e do Jornal de Casa, em Belo Horizonte, entre 1993 e 2000. Teve trabalhos publicados na revista de humor Bundas (Rio de Janeiro); nos jornais Gazeta Mercantil (Minas Gerais), Estado de Minas, Hoje em Dia (MG) e O Pasquim 21 (RJ).

Em 1982, realizou a exposição Fazendas de Minas, na Fundação Carlos Drummond de Andrade, em Itabira (MG).

Desde 2000, vem dedicando-se às esculturas em bronze e em cerâmica, especialmente de artistas brasileiros da música e da poesia. Inaugurou, em 2002, na sua cidade natal, três esculturas em tamanho natural do poeta conterrâneo Carlos Drummond de Andrade. Em Itabirito (MG), fez as esculturas do cineasta Orson Welles (2006) e do técnico de futebol Telê Santana (2007). Em dezembro de 2008, inaugurou o baixo-relevo em bronze do embaixador José Aparecido de Oliveira na Assembleia Legislativa de MG, em Belo Horizonte. Em julho de 2014, fez o Monumento ao Tropeirismo em bronze, em Ipoema (MG); em agosto de 2019, o busto do José Bonifácio, o Patriarca da Independência, na Câmara dos Deputados em Brasília (DF). Em setembro de 2019, o Museu Casa de Cora Coralina recebeu a escultura em bronze da Poetisa de Goiás, de sua autoria.

Em julho de 2002, por ocasião das festividades do Centenário Carlos Drummond de Andrade em Itabira, realizou a mostra de desenhos “O Anjo Torto – Drummond por Genin”, no Memorial Carlos Drummond de Andrade, exposição esta que esteve no 3.º Salão do Livro de Belo Horizonte (MG), no 2.º Salão do Livro de Ribeirão Preto (São Paulo), na Galeria de Arte da COPASA (BH/MG), na Universidade Federal de São João del Rei (MG) e em Portugal (nas cidades de Serpa, Caminha, Montemor-o-Novo, Vila Nova de Famalicão  e  Lisboa).

A exposição de cerâmicas “SOLO – Álbum das Glórias Musicais Brasileiras”  esteve no foyer da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade, em Itabira (MG) (julho de 2017); e em Belo Horizonte (MG), no Museu da Imagem e do Som – MIS  (setembro de 2017),  no Espaço Usiminas de Arte (fevereiro de 2018), na galeria de arte Espaço Político Cultural Gustavo Capanema da Assembleia  Legislativa  de  MG (agosto de  2019).