Sessão comentada com Márcia Rosa e Nádia Batella Gotlib 16/05

O terceiro encontro do programa “Lacan na Academia – conversando com a literatura” acontece na Academia Mineira de Letras,em parceria com a Escola Brasileira de Psicanálise – Seção Minas Gerais (EBP – MG), no dia 16 de maio, às 19h30. Com o tema “E não passava de uma mulher… inconstante e borboleta, em Clarice Lispector”, será ministrado pela psicanalista Márcia Rosa, que convida a professora de Literatura Nádia Batella Gotlib.

A Academia Mineira de Letras é mantida mediante a Lei Federal de Incentivo à Cultura, no âmbito do Plano Anual de Manutenção AML, realizado com patrocínio do Instituto Unimed-BH, por meio do incentivo fiscal de mais de 4,7 mil médicos cooperados e colaboradores. A Academia integra o Circuito Liberdade.

O programa conta com a participação de importantes psicanalistas e convidados, que pretendem abordar as interseções entre a literatura e a psicanálise. A primeira edição tem como tema “O feminino, seus corpos e mundos”, por meio da leitura de autores brasileiros, do século XX, que permitirão levantar o véu do prenúncio da expressão do feminino fora das bordas e bordados da intimidade do lar.

Márcia Rosa e Nádia Batella abordarão a obra de Clarice Lispector numa leitura cruzada entre a psicanálise e a literatura. “Em ‘A mulher que matou os peixes’ e ‘A hora da estrela’, mais que cuidar e alimentar, a mulher se envolve com a escrita e, aberta esta via, ela se encontra como outra de si mesma: Macabeia! No entanto, como é o texto de Clarice, ‘sem temor nem piedade’, ela encontra a estrela do Mercedes. Nomeada pelo psicanalista Éric laurent como ‘Clarice, a sinthoma’, nos abre a via de uma ‘writing cure’”, explica a psicanalista Márcia Rosa.

A obra “A Paixão segundo G. H.” é de fundamental importância se considerado o conjunto da produção ficcional de Clarice Lispector. Escrita a partir de 1962 e publicada em 1964 – 24 anos depois de sua estreia com a publicação na imprensa de seus primeiros contos – este romance leva a extremas consequências o mergulho na profundidade da personagem, ao procurar auscultar nesse percurso entre a sala e o quarto de empregada do apartamento da escultora, o repertório de experiências possíveis que acompanham o enfrentamento do ‘outro’.

Como considerar as configurações desse ‘outro’ enquanto personagem inserido na teia ficcional? Quais os recursos estéticos de que se vale a escritora para traduzir tal experiência? E quais as implicações de tais escolhas na construção de sentidos possíveis? Algumas dessas questões serão discutidas ao longo do encontro.

 

Data: 16 de maio

Horário: 19h30

Local: Academia Mineira de Letras (Rua da Bahia, 1466 – Lourdes – BH/MG).

Entrada gratuita. academiamineiradeletras.org.br

Programação:

– 20 de junho: O feminino: corpos e mundos em Nelson Rodrigues. Com Ram Mandil e convidado.

Instituto Unimed-BH

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, há 15 anos, contribui com o desenvolvimento social em localidades de atuação da Unimed-BH. Para isso, desenvolve cinco grandes programas: Comunidade, Meio ambiente, Voluntariado, Adoção de espaços públicos e Cultura. Saiba mais em www.institutounimedbh.com.br.

 

Adicionar Comentários

Clique para comentar