Africânia no Centro Cultural do Padre Eustáquio 29/10

Um projeto de moda, empoderamento e cultura africana Dia 29 de outubro o Centro Cultural do Padre Eustáquio, em Belo Horizonte, será palco da segunda edição do Africânia, projeto sócio cultural de empoderamento, moda e cultura negra. Com uma proposta diferenciada, a festa irá unir moda, música e outros elementos da cultura afro em um só lugar. Em meio às atrações musicais será realizado um desfile, que conta com as marcas de afroempreendedoras, Lolita Az Avessas, Negrif, Kftá e Veríssimo Moda Afro.

As estrelas do desfile serão pessoas aprovadas na seleção de novos modelos que contou com mais de 160 inscritos. Foram selecionados 40 participantes, que não obrigatoriamente possuíssem experiência como modelos. Todos os escolhidos passaram por uma capacitação para desfilarem no dia do evento. Este ano o cast do Africânia irá contar com crianças, jovens e adultos.

O evento contará com apresentações musicais e poéticas, que têm suas construções influencias pela cultura africana. Apresentando canções autorais e releituras de grandes sucessos, o time artístico será composto pela banda Nêga, a dupla Pele Preta e a DJ Aláfia Sanchez. O grupo de dança Insanos e os jovens, Ítalo Alkimin e Pedro Ndongo, farão apresentações que unem dança e poesia.

A banda Nêga possui uma pegada soul e traz a proposta de valorizar a música black nacional e internacional. A Pele Preta, em que um casal busca representar a cultura negra, engloba diversos hits dentro da MPB. A DJ Aláfia Sanchez explora esteticamente a cultura Black, presentificada a partir dos anos 2000 por intermédio da música, teatralidade, performance, ambiguidade e reivindicação. O grupo Insanos tem como objetivo disseminar as danças urbanas por onde passa. Ítalo Alkimin e Pedro Ndongo colocam em foco o negro, seu espaço e vivências, através de poesias.

Mais que uma festa, o Africânia busca enaltecer a beleza negra, levando a comunidade ao reconhecimento de sua importância e dando aos participantes a oportunidade de realizarem sonhos, seja desfilando ou sendo este, o pontapé para outras realizações. Inclusão e empoderamento são termos de grande peso para os participantes do
projeto.

Para promover e debater a inserção do jovem negro no mercado de trabalho, este ano, o projeto conta com a parceria do Instituto ISBET, que tem por objetivo preparar futuros profissionais, buscando responder às três necessidades inerentes e intrinsecamente fundamentais aos seres humanos – Educação, Trabalho e Desenvolvimento – ou seja, ações de caráter Educacional, Técnico, Científico, Cultural, Cívico, Beneficente e Assistencial. “Assumir que somos agentes responsáveis pelas mudanças que queremos ver na sociedade e, promover ações que engajem ainda mais  pessoas a somarem a uma causa, é um processo importantíssimo para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária”, afirma Virgínia Manoel, gerente de projetos da Makeda Projetos em Comunicação.

A seleção dos novos modelos

A agência de modelos Next Models BH e a empresa de consultoria Makeda Projetos em Comunicação, idealizadoras do projeto, realizaram durante dois dias a seleção dos novos modelos. Nos dias, 12 e 19 de Agosto, uma equipe de profissionais esteve à disposição no Centro de Referência da Juventude para receber os interessados em participar do projeto.

Ao todo, 164 pessoas participaram da seletiva e, dessas, 16 mulheres, 9 crianças e 15 homens foram selecionados para o cast do Africânia. “A cada edição é um legado que deixamos no coração de todas essas pessoas. Poder ver tanta gente unida, lutando por uma causa tão bonita e ser inspiração para muitas delas nos motiva a fazermos sempre mais e melhor”, ressalta Thaisa Tadeu, diretora da Next Models BH.

O objetivo da seleção para o desfile era, também, despertar o talento e a capacidade de cada um dos selecionados. Todos os 40 escolhidos passaram por um curso de modelo e manequim oferecido, gratuitamente, pelos produtores do Africânia. Ao final do curso, os novos modelos se sentiram mais preparados para o desfile e os que tiverem interesse poderão dar continuidade à carreira. O projeto também promoveu a realização de encontros e palestras, que pautaram questões importantes para o povo negro.

Data: 29 de outubro | Domingo Horário: 13h
Local: Centro Cultural do Padre Eustáquio
Endereço: R. Jacutinga, 821 – Padre Eustáquio, Belo Horizonte – MG, 30730-430
Informações: (31) 97355-0117 / (31) 99406-6043
Classificação: Livre | Entrada Gratuita

Patrocinado