PBH reabre teatros públicos municipais com bilheteria eletrônica

Prefeitura de Belo Horizonte reabre teatros públicos municipais para apresentações presenciais com bilheteria eletrônica

A partir de setembro, os três teatros públicos municipais, administrados pela Secretaria Municipal de Cultura e pela Fundação Municipal de Cultura – Francisco Nunes, Marília e Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Raul Belem Machado – voltam a receber espetáculos com a presença de público. Os espaços funcionarão atendendo todos os protocolos de prevenção ao contágio pelo Coronavírus determinados pela Prefeitura, incluindo a bilheteria eletrônica, o uso de máscaras em todas as dependências e a limitação de público, entre outras medidas.

“A reabertura dos teatros públicos municipais, seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19 vigentes na cidade, é mais um passo que damos no sentido de ampliar o acesso da população aos espaços de fruição da cultura em BH, colaborando também para a retomada da economia da cultura, que foi tão duramente afetada nos últimos meses”, afirma Fabíola Moulin, secretária Municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura.

Um destaque entre as ações adotadas é a implementação da bilheteria eletrônica nos teatros, que dará ao público a opção de adquirir os ingressos de forma on-line, por meio do site diskingressos.com.br. A mudança, que já vinha sendo planejada antes da pandemia, foi implementada como parte dos esforços da Prefeitura em modernizar o sistema dos equipamentos, potencializar as vendas e a divulgação dos espetáculos.

Para a retomada em segurança, os teatros municipais também terão a capacidade de público reduzida nesta reabertura. O Teatro Francisco Nunes terá disponível 240 lugares na plateia; o Teatro Marília, 84; e o Teatro Raul Belém Machado/Espaço Cênico Yoshifumi Yagi poderá receber até 56 pessoas por espetáculo. Ao final da apresentação, a saída do público será escalonada, para evitar aglomerações. Neste momento, também não será permitido o contato físico dos artistas com a plateia.

“Com a implementação da bilheteria eletrônica, o acesso do cidadão é facilitado e melhoramos consideravelmente a logística para os produtores, o que acreditamos que será positivo para a economia da cultura da cidade. Continuará sendo possível adquirir ingressos pessoalmente, nas bilheterias físicas dos teatros, que também aceitarão cartões de débito e crédito e estarão abertas duas horas antes dos espetáculos”, detalha Aline Vila Real, diretora de Promoção das Artes da Fundação Municipal de Cultura.

Programação variada
Comédia, drama, musical e até mágica. A lista de espetáculos que compõem a grade dos teatros públicos municipais em setembro está variada. Toda a programação pode ser consultada no Portal Belo Horizonte – portalbelohorizonte.com.br. Os ingressos variam de R$10 a R$50, dependendo do espetáculo, e podem ser adquiridos antecipadamente no site diskingressos.com.br. Também há a opção de adquirir os ingressos nas bilheterias dos teatros, a partir de duas horas antes das apresentações.

O Teatro Francisco Nunes abre sua programação no dia 5, domingo, às 17h, com o espetáculo musical “Tributo ao Queen”, com o grupo Quo-Tzar, de Belo Horizonte. A apresentação faz uma homenagem à antológica banda inglesa de Freddie Mercury. Nos finais de semana seguintes, o Francisco Nunes abre suas portas para a tradicional comédia “Acredite, um Espírito Baixou em Mim”, da Cangaral Produções. Escrito por Ronaldo Ciambroni e dirigido por Sandra Pêra, o espetáculo tem à frente do elenco Ilvio Amaral e Maurício Canguçú, Dannyelle Gama, José Vilaça e Marino Canguçú. A peça soma o incrível público de mais de 3 milhões de espectadores e já foi apresentada em centenas de cidades em todo o Brasil. As apresentações acontecem de 10 a 12/9 e 17 a 19/9, sextas e sábados, às 20h; e domingos, às 19h. Encerrando o mês, no dia 26, o teatro retoma, em formato híbrido – com apresentação presencial, público reduzido, e transmissão simultânea pelas redes sociais -, o projeto Música de Domingo. Em edição especial, será apresentado o show musical de lançamento do segundo disco dos belo-horizontinos “Assanhado Quarteto”, com a participação da paulista Dani Panesi. O show integra a programação do Circuito Municipal de Cultura, projeto realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, em parceria com o Centro de Intercâmbio e Referência Cultural – CIRC.

Já o Teatro Marília abre sua programação nos dias 8, 9 e 10, sempre às 20h, com a peça “A Porta e o Vestido”, da Cia. Produz Ação Cênica. O espetáculo retrata a visão de um professor e artista que vive em constante luta pelos direitos antimanicomiais. Nos dias 11 e 12, sábado, às 20h, e domingo, às 19h, o Marília recebe o espetáculo “O Homem do Caminho”, também da Cia. Produz Ação Cênica. A peça traz a história de Lur, um cigano contador de histórias, que diverte todos que estão à sua volta e, ao mesmo tempo, os faz pensar sobre o comportamento humano. O Teatro Marília recebe, ainda, o espetáculo “Capitão Fracasso”, dirigido por Luiz Paixão. Participante de diversos festivais internacionais, a peça é inspirada no romance homônimo de Théophile Gautier, escrito em 1863. Trata-se de uma homenagem ao teatro e a todos que fazem do palco profissão, espaço de emoção, prazer e conhecimento. As apresentações acontecem nos dias 18, 19, 24, 25 e 26 de setembro, sexta e sábados, às 20h; domingos, às 19h.

O Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado, por sua vez, abre sua programação nos dias 4 e 5, sábado, às 20h, e domingo, às 19h, com o drama “Diógenes”, dirigido por Fernando Chagas. Livremente inspirado no filósofo grego Diógenes, a peça traz a história de um morador de rua que interpela o público com suas ideias e histórias. Uma espécie de filósofo e poeta das ruas que, com seus versos, desfia uma história de amor e amargura. Outra atração é o show de ilusionismo com Kradyn Junior, que mistura comédia e brincadeiras com a plateia, utilizando baralhos, realizando previsões, transformações e outros efeitos surpreendentes. As apresentações acontecem de 8 a 12, quarta a sexta, às 20h; sábado, às 16h e 20h; e domingo, às 16h.

Programação:

Teatro Francisco Nunes
“Tributo ao Queen” – Banda Quo-Tzar
Dia 5/9, domingo, às 17h
Classificação: livre
Ingressos: R$40 (inteira) | R$20 (meia)

“Acredite, um Espírito Baixou em Mim” – Cangaral Produções
De 10 a 12/9 e 17 a 19/9, sextas e sábados, às 20h; e domingos, às 19h.
Classificação: 12 anos
Ingressos: R$50 (inteira) | R$25 (meia)

“Música de Domingo – Show musical” – Assanhado quarteto, com participação especial de Dani Panesi, na programação do Circuito Municipal de Cultura
Dia 26/9, domingo (horário a definir)
Classificação: livre
Acesso gratuito, mediante retirada de ingressos em diskingressos.com.br

Teatro Marília
 “A Porta e o Vestido” – Cia. Produz Ação Cênica
Dias 8, 9 e 10/9, quarta a sexta-feira, às 20h
Classificação: 12 anos
Ingressos: R$30 (inteira) | R$15 (meia)

“O Homem do Caminho” – Cia. Produz Ação Cênica
Dias 11 e 12/9, sábado, às 20h, e domingo, às 19h
Classificação: 16 anos
Ingressos: R$30 (inteira) | R$15 (meia)

“Capitão Fracasso” – direção: Luiz Paixão
Dias 18, 19, 24, 25 e 26/9, sexta e sábados, às 20h; domingos, às 19h
Classificação: livre
Ingressos: R$20 (inteira) | R$10 (meia)

Espaço cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado
 “Diógenes”, direção de Fernando Chagas
Dias 4 e 5/9, sábado, às 20h, e domingo, às 19h
Classificação: 14 anos
Ingressos: R$20 (inteira) | R$10 (meia)

Festival Internacional de Mágica e Ilusionismo de Belo Horizonte – com Kradyn Junior
De 8 a 12/9, quarta a sexta, às 20h; sábado, às 16h e 20h; e domingo, às 16h.
Classificação: livre
Ingressos: R$20 (inteira) | R$10 (meia)

Adicionar Comentários

Clique para comentar