Nova coleção da Manoel Bernardes tem como fonte de inspiração o oceano

Para a coleção primavera verão a joalheria foi buscar, a partir do conceito de oceano, o imenso, o profundo, o poder supremo, a vida em toda sua magnitude

É com mistério e curiosidade aguçada que exploram-se as profundezas do oceano. Foi com esses mesmos sentimentos que a equipe da Manoel Bernardes desenvolveu a nova coleção primavera verão da grife. No dia 17 de setembro, em coquetel para convidados, a joalheria apresentará suas novas peças na galeria de arte Murilo Castro. Na oportunidade, o público presente poderá apreciar uma exposição das obras do artista Cristiano Xavier.

A Manoel Bernardes decidiu explorar o oceano para conceber uma coleção que caminha entre a origem e o futuro. Uma pergunta pertinente e habitual nasce a partir desse conceito: de onde viemos e onde está o destino do planeta? No oceano é onde vivem as espécies mais antigas e onde há uma fronteira a ser plenamente descoberta, que leva ao imenso, ao profundo, ao poder supremo, à vida em toda sua magnitude.

Com todas essas fontes de inspiração a joalheria mineira desenvolveu peças magníficas que retratam as belezas e os mistérios do oceano e da vida marinha. O resultado são quatro linhas que permitiram designs diferenciados, com cores e formas exuberantes.

A linha Acqua reúne conceitos de transparência, fluidez e movimento. Ela foi todo inspirada nas ondas, na superfície do mar, nas bolhas e nas espumas. Para as peças as cores utilizadas são prioritariamente os azuis, podendo incluir os verdes, os diamantes e os topázios brancos. Gemas como água marinha, apatita, topázio London Blue e iolita foram utilizadas para compor as peças em ouro branco e amarelo.

A natureza intensa, multicolorida e de formasúnicas dos seres do mar serviu de inspiração para criar a linha Bio. A biodiversidade marinha é incrivelmente cheia de possibilidades. O resultado? Uma linha diferenciada que combina múltiplas cores em novas silhuetas.

Já a linha Conchas busca remeter às boas lembranças. Quem nunca recolheu uma concha como recordação? De múltiplas formas e cores, as conchas representam a memória de bons momentos junto ao mar e isso foi traduzido em peças coloridas, com formatos inesperados, gemas variadas cravadas em ouro branco e amarelo.

Para as linhas Bio e Conchas, a novidade é o uso do coral e da turquesa, além das gemas já utilizadas pela grife, inclusive a opala, que continua importante. Gemas como esmeralda, London Blue, citrino, apatita, rodolita, peridoto e turmalina rosa completam a composição das peças das duas linhas.

Para fechar com muito brilho e sofisticação foi criada a linha Sol, que celebra a estrela central do sistema solar e o entardecer. A força mais brilhante da Via Láctea foi traduzida em círculos e representações gráficas transformadas em metal polido com diamantes e pedras milimetradas. A luz solar é a principal fonte de energia da Terra, seguindo essa inspiração o design das peças imprimiu na linha toda a potência que envolve a semelhança entre o sol e o ouro.

A coleção “Oceano” vem reforçar os traços típicos da Manoel Bernardes com a exploração das gemas brasileiras. A coleção traz as gemas de cor e o design atemporal e sofisticado, marcas registradas da grife, além do desenvolvimento das peças ser voltado para a brasilidade, o que as torna ainda mais especiais e enraizadas na filosofia da joalheria.