Minas: Arte e Voz – Grandes Ícones 10/05 a 30/05

Coletivo de arte e artesanato promove encontro com talentos mineiros na Praça da Liberdade, em BH 

Após sucesso no Rio de Janeiro, projeto Beagá Arte – Valorizando Quem Faz retorna à capital mineira com evento especial no Sou Café, no CCBB. Exposição reúne a produção criativa do estado com homenagem a ícones da arte, a partir de 10 de maio 

Após estrondoso sucesso no Rio de Janeiro, a exposição Minas – Arte e Voz – Grandes Ícones, iniciativa do projeto Beagá Arte – Valorizando Quem Faz, retorna a Belo Horizonte. O evento promovido pelo coletivo de arte e artesanato será relizado entre 10 e 30 de maio, no Sou Café, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), na Praça da Liberdade. A abertura está marcada para o dia 10, sexta-feira, entre 14h e 21h, com entrada gratuita. 

Nesta edição, o encontro homenageia a obra do célebre artista mineiro Geraldo Teles de Oliveira, representado pelo filho, Mário Teles, e o neto, Alex Teles. Os dois irão participar de um bate-papo cultural sobre a rica criação de GTO, além de seu conjunto próprio. Os demais expositores também irão discorrer sobre sua trajetória e inspiração artística. Entre os integrantes da exposição, produtores de Minas Gerais que têm suas composições entre as mais representativas do estado. Eles irão apresentar seu trabalho tradicional e peças temáticas. A mostra irá receber ainda artistas especialmente convidados para a ocasião.  

Com o norte “grandes ícones do cinema, música, teatro e literatura”, os expositores farão tributos a personagens ilustres da cena artística nacional e internacional. Entre as referências, Fernanda Montenegro, Clara Nunes (cantora mineira que esse ano deu o tom do carnaval da Portela), Elza Soares, Rita Lee, Elis Regina, Carmem Miranda, Frida Kahlo, e outros.   

O primeiro centro cultural que foi a semente do Beagá Arte entra em seu quinto ano de história. Começou pequenino na garagem de casa pela determinação de Cynthia Rabello. De lá para cá, muita coisa mudou. Hoje agrupa artistas e artesãos que mostram os mais variados tipos de artigos manuais, reafirmando a força criativa de Minas. 

No início, o projeto, além de oferecer cursos, oficinas e workshops diversos, figurou em eventos da área, marcou presença em feiras, e agora toma lugar no Sou Café com uma loja permanente para venda e exposição dos produtos.  No café, inclusive, acontece mensalmente, desde dezembro de 2018, um encontro de arte e artesanato, que já caiu no gosto do público nesse que é um espaço privilegiado na cena cultural belo-horizontina. 

“Costumo dizer que estamos no meio termo – não fazemos nem o artesanato simples e nem as obras de arte mais inviáveis e inacessíveis. Buscamos trazer a arte e o artesanato que sejam alcançáveis e que as pessoas possam consumir no dia a dia”, pontua Cynthia Rabello. Entre o variado leque que enriquece o projeto, o melhor do artesanato, das artes, da moda e do design, com presença ilustre de marcas locais. 

“Temos uma clientela que conhece o trabalho há muito tempo, o que nos dá um bom retorno. As pessoas ficam fascinadas”, diz Cynthia. O artesanato rico e autêntico chama o olhar de quem se surpreende com as peças. “Geralmente, não se tem acesso a uma produção de qualidade. Assim, quem frequenta nossa loja e os eventos se apaixona. Fazemos questão de exaltar a história de cada artista, como uma maneira de resgate mesmo”. No grupo do Beagá Arte, produtores de todas as idades são os responsáveis pela magia do que é feito à mão. “Pretendemos promover a união entre os atores da cadeia da arte e do artesanato. Convocamos o público para prestigiar a produção em Minas, valorizar o que a gente tem e faz”, acrescenta Cynthia. 

Em 2019, muita coisa boa acontecendo. Já com a ideia engatilhada, um dos próximos passos do coletivo é conseguir se formar como associação, o que vai otimizar a visibilidade e abrangência de público. O propósito é obter incentivo, novas formas de apoio, dar oportunidade aos artesãos de integrar diferentes exposições, até em outros estados, em locais como centros culturais e museus, por exemplo, a preços de participação acessíveis. 

“A intenção é estabelecer um encontro de arte itinerante. Agrupar uma turma com trabalhos diferenciados, criativos e, assim, investir em uma divulgação maciça para ampliar o espectro de atuação dos artistas e artesãos, focando realmente na produção mineira. O importante agora é estarmos organizados”, diz Cynthia. Outro fato a celebrar é a recém-inaugurada loja de arte e artesanato em Ouro Preto, cidade histórica símbolo em Minas Gerais, uma iniciativa independente que conta com o apoio do Beagá Arte. 


Abertura: 10 de maio, de 14h às 21h
Período de exposição: 10 de maio a 30 de maio 
De quarta-feira a segunda-feira, de 10h às 22h 
No Sou Café 
Centro Cultural Banco do Brasil 
Praça da Liberdade, 450, Funcionários – Belo Horizonte 
Entrada gratuita 
Sujeito a lotação 

Adicionar Comentários

Clique para comentar