Exposição Paisagens Fugidias 02/09 a 28/09

Galeria Beatriz Abi-Acl comemora 20 anos com a exposição Paisagens Fugidias

Com uma exposição individual da pintora Juliane Assis, intitulada “Paisagens Fugidias”, a Galeria de Arte Beatriz Abi-Acl inicia a programação comemorativa de 20 anos de atuação no mercado das artes de Belo Horizonte. A abertura para convidados será no dia 2 de setembro, de 18h as 22h, e poderá ser visitada pelo público de 3 a 28 de setembro de 2019.

A escolha da artista, que pela primeira vez expõe na Galeria Beatriz Abi-Acl, não poderia ser mais pertinente, uma vez que, ao longo dessas duas décadas, a galeria sempre investiu nos talentos mineiros.

Nesta exposição, Juliane Assis mostra trabalhos inspirados nas paisagens urbanas e rurais, tendo como elementos pictóricos árvores, folhas, pássaros e detalhes arquitetônicos, mesmo que de forma sutil, já que se percebe nitidamente que a paisagem é mais um pretexto para as suas abstrações, impregnadas de texturas, cores, tons, ranhuras e colagens. Ela utiliza técnicas diversas como têmpera vinílica, tinta acrílica, colagens e pigmento em pó com aglutinante, em obras de dimensões e formatos variados, que vão de 20 cm x 20 cm a 1,60 m x 2 metros.

A artista explica que vem desenvolvendo já há alguns anos, uma série de trabalhos em acrílica e têmpera vinílica em torno do tema paisagem, que abordado de forma não convencional abre caminhos poéticos em nossa sensibilidade. “Flores, folhas, árvores e elementos arquitetônicos não são totalmente revelados, mas sugeridos. Às vezes eles se destacam, outras vezes se perdem, trazendo um caráter dúbio e sutil à pintura. Os elementos são retirados de seu contexto e transferidos para um cenário particular, povoado de texturas, cores, ranhuras e linhas”. E prossegue: “Aos poucos a paisagem vai ganhando seus valores e enriquecendo em sua gama de cor e movimento a composição pictórica”.

Para o psicólogo e psicanalista Felippe Lattanzio, Juliane Assis, “ao assumir a herança dos elementos barrocos e mineiros, potencializa sua voz e alcança um modernismo abstrato bastante peculiar. Cria assim um estilo próprio, inserido no conceito mais amplo de abstração. Pois em sua obra observamos um curioso movimento: a dualidade do barroco, como num jogo dialético, transcende a si mesma e se transforma, enfim, em dualidade barroco/moderno”, finaliza ele.

Uma trajetória de sucesso

Em outubro de 1999, era inaugurada em Belo Horizonte a Galeria de Arte Beatriz Abi-Acl, na época com o nome de Galeria de Arte Agnus Dei. Desde então, vem se posicionando no mercado com um espaço de referência das artes e cultura.

Para a galerista e artista plástica Beatriz Abi-Acl não foi fácil a trajetória nestes 20 anos, tendo em vista as crises pelas quais passou e passa a economia brasileira. A despeito de tudo a galeria se firmou e, nestas duas décadas, promoveu cerca de 80 exposições individuais e coletivas, sendo também palco de lançamento de livros, ensaios fotográficos, palestras e cursos de arte.

Artistas plásticos de renome mostraram seus trabalhos na galeria, entre os quais os mineiros Décio Noviello e Marisa Trancoso, o baiano César Romero e o capixaba Attílio Colnago. Destaque também para a exposição internacional sobre Américo Vespúcio.

Seu âmbito de atuação não se restringiu a Belo Horizonte. Desde que foi fundada, a galeria participou de feiras de arte em São Paulo e levou para o interior de Minas Gerais exposições de artistas que representa, dando maior visibilidade à arte que aqui se produz, ao mesmo tempo em que contribuiu para o desenvolvimento da cultura em nosso Estado.

Artista: Juliane Assis

Abertura: 2 de setembro de 2019 – 18h as 22 horas

Período: 3 a 28 de setembro – segunda a sexta-feira, de 9 as 18 h; aos sábados, de 9 as 13 horas

Onde:

Galeria de Arte Beatriz Abi-Acl – Rua Santa Catarina, 115 – Lourdes – Belo Horiznte – MG