Da ciência à cultura: 10 Museus imperdíveis em Belo Horizonte 18/05

No próximo dia 18 de maio é celebrado o Dia Internacional dos Museus. Belo Horizonte possui mais de 30 museus que estão cheios de histórias, raridades, curiosidades e cultura e podem render bons passeios tanto para os mineiros, como para os turistas. Para celebrar a data e ajudar você a conhecer e, por que não, se encantar por esses espaços, fizemos uma lista com 10 Museus que são imperdíveis.

  1. MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal

Instalado no histórico Prédio Rosa, 1897, e integrante do Circuito Liberdade, é um museu de ciência e tecnologia que apresenta de forma lúdica e interativa a história da mineração e da metalurgia. São 44 exposições que ocupam as 20 áreas expositivas do espaço. Por lá, o visitante pode interagir de diversas formas com os minerais, seja usando a tecnologia, o toque ou mesmo uma lente de aumento que revela detalhes dos mais diversos minerais em exposição no espaço, muitos deles fruto do solo de Minas Gerais. Metais importantes para a sociedade atual como o Aço e o Nióbio também estão representados em salas exclusivas onde o visitante pode conhecer melhor a história, processos de produção, sustentabilidade e a economia circular envolvida na sua utilização.

*Endereço: Praça da Liberdade, s/nº – Prédio Rosa.

O MM Gerdau funciona de terça a domingo, das 12 às 18h, e na quinta, das 12 às 22h. A entrada é gratuita.

  1. Memorial Minas Gerais Vale

O Museu retrata a alma e tradições mineiras em três pavimentos divididos em 31 salas de exposição. No espaço, cenários reais e virtuais se misturam para criar experiências e sensações que levam os visitantes do século XVIII ao século XXI. Além do cotidiano, artesanato e cultura típicos de Minas Gerais, há ainda salas que mostram a vida e a obra de artistas símbolos do estado como o poeta Carlos Drumond Andrade, o fotógrafo Sebastião Salgado e da artista plástica Lygia Clark. Há ainda galerias que recebem exposições temporárias.

*Endereço: Praça da Liberdade, s/nº – Esquina com Rua Gonçalves Dias.

O Memorial funciona de terça a sábado, das 10h às 17h30, sendo às quintas, das 10h às 21h30 e aos domingos de 10h às 15h30. A entrada é gratuita.

  1. Centro Cultural Banco do Brasil

O espaço entrou recentemente na lista dos 100 museus mais visitados do mundo. Localizado em um dos prédios históricos da Praça da Liberdade, também integra o Circuito Liberdade e tem como foco principal exposições temporárias de artistas consagrados e que circulam pelo Brasil. O espaço está dividido em 12 salas, sendo duas delas com exposições permanentes, além de um amplo pátio coberto e um teatro.

*Endereço: Praça da Liberdade, 450 – Funcionários.

O CCBB funciona de quarta à segunda das 10h às 22h. A entrada é gratuita.

  1. Casa Fiat de Cultura

Localizada logo atrás do Palácio da Liberdade, o espaço possui cinco pavimentos e recebe grandes exposições temporárias, de artistas nacionais e internacionais, e eventos. Logo na entrada está a pintura original “Civilização Mineira”, de Cândido Portinari, que foi restaurado em 2013 e é um acervo permanente do Museu.

*Endereço: Praça da Liberdade, 10 – Funcionários.

O espaço funciona de terça a sexta das 10h às 21h, sábados, domingos e feriados das 10h às 18h. A entrada é gratuita.

  1. Museu Mineiro

Também nos arredores da Praça da Liberdade, o Museu abriga uma coleção de imagens e pinturas sacras, equipamentos litúrgicos, mobiliário, moedas, armas e achados arqueológicos dos séculos XVIII e XIX. São mais de 3.500 peças, incluindo o acervo da Pinacoteca do Estado, reunidos em 36 coleções. Além da exposição permanente, chamam a atenção ainda os salões restaurados que abrigam belas pinturas no teto e paredes.

*Endereço: Avenida João Pinheiro, 342 – Funcionários.

O Museu funciona às terças, quartas e sextas, das 10h às 19h; quinta, das 12h às 21h, e aos sábados e domingos de 12h às 19h. A entrada é gratuita.

  1. Museu de Artes e Ofícios

Localizado no coração da cidade, na Praça da Estação, o MAO resgata a história do trabalhador mineiro em um acervo que conta a história de dezenas de atividades profissionais que deram origem à indústria no estado. O acervo é composto com 2.500 peças originais, como ferramentas, máquinas, equipamentos e outros utensílios usados, entre os séculos XVIII e XX, em atividades de mineração, lapidação, ourivesaria, tecelagem, energia, transporte, alimentício, entre outros. 

*Endereço: Praça Rui Barbosa, 600 – Centro

O Museu funciona às terças 9h às 21h, e quarta a domingos – 9h às 17h. A entrada é gratuita.

  1. Casa Kubitschek 

A casa projetada em 1943 pelo arquiteto Oscar Niemeyer, com jardins de Burle Marx, para Jucelino Kubitscheck, que era prefeito de Belo Horizonte à época, está localizada na orla da Lagoa da Pampulha. Jucelino a utilizou por poucos anos como residência de fim de semana e depois a vendeu. Transformada em museu, manteve os cômodos e mobiliário típicos dos anos 1950, além de apresentar ao visitante um pouco mais da história do próprio JK e do projeto da Pampulha.

*Endereço: Avenida Dr. Otacílio Negrão de Lima, 4188 – Pampulha

A Casa funciona de terça a domingo, das 9h às 17h. A entrada é gratuita.

  1. Museu Brasileiro do Futebol

Instalado no estádio do Mineirão, o Museu é um atrativo a mais para os apaixonados pelo esporte e aos turistas que visitam a região da Pampulha. É o único espaço na cidade com acervo totalmente dedicado ao futebol. No acervo permanente é possível conhecer mais da história e emoção do esporte, e também do próprio estádio, através de conteúdos audiovisuais, e artefatos materiais relevantes como camisas, bola e troféus.

*Endereço: Avenida Dr. Otacílio Negrão de Lima, 4188 – Pampulha

O Museu funciona de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados e domingos de 9h às 13h. Podendo sofrer alteração em dias de jogos. Entrada: R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia.

  1. Museu de Artes da Pampulha

Também na Orla da Pampulha, o MAP integra o Conjunto Arquitetônico da Pampulha e está instalado em um prédio criado por Oscar Niemeyer para ser um cassino. O Museu possui acervo de 1.400 peças em reserva técnica e recebe exposições e programação artística temporárias. Além da arquitetura, que já merece a visita, o visitante pode aproveitar ainda os jardins criados por Burle Marx utilizando plantas típicas da flora brasileira. Esculturas de August Zamoyski, Alfredo Ceschiatti e José Pedrosa integram a paisagem

*Endereço: Avenida Dr. Otacílio Negrão de Lima, 16.585 – Pampulha

O MAP funciona de terça a domingo, das 9h às 18h. A entrada é gratuita.

  1. Museu Histórico Abílio Barreto

Em um casarão de 1883, preservado desde o período em que a capital mineira ainda era Curral Del Rey, que foi sede da Fazenda do Leitão, está o Museu que reúne a história e muitos fragmentos de Belo Horizonte. Inaugurado Em 1943 o espaço possui em seu acervo cerca de 70 mil itens como fotografias, livros, documentos, maquetes e outros objetos que contam a trajetória da cidade. Na parte externa um agradável jardim onde o visitante pode ver ainda de perto um exemplar de bonde e de uma locomotiva à vapor antigos.

*Endereço: Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim.

O Museu funciona às terças, sextas, sábado e domingo das 10h às 17h e às quartas e quintas de 10h às 18h30. A entrada é gratuita.

Bônus:

Instituto Inhotim

Localizado no município de Brumadinho, cerca de 60 km de Belo Horizonte, o Museu reúne diversas coleções e exposições de arte contemporânea em uma área aproximadamente 20km. Seu a acervo inclui também uma coleção botânica com espécies raras de todos os continentes. Parada obrigatória também para quem vem à Belo Horizonte.

*Endereço: Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim.

O Inhotim funciona de terça a sexta das 9h30 às 16h30 e sábados, domingos e feriados de 9h30 às 17h30. Às quartas-feiras (exceto feriados) a entrada é gratuita.

Adicionar Comentários

Clique para comentar