Carnaval inclusivo: Bloco Baianas Ozadas

Carnaval inclusivo: Bloco Baianas Ozadas desfila em 2019 com ala especial para surdos
Com direito a performance de dança interpretada em libras, o projeto busca usar a folia do bloco do coração de BH como forma de promover a inclusão social e o combate ao preconceito
O verdadeiro espírito do carnaval é, sem dúvidas, a celebração da diversidade. Afinal, um dos movimentos mais populares do Brasil, tradicionalmente conhecido como festa para todos, tem que realmente ser sem exceções. Pensando nisso, com o objetivo de promover de fato essa integração social, a cada ano o Baianas Ozadas abraça um projeto e leva às ruas uma mensagem de apoio e incentivo para que a população quebre as barreiras do preconceito.

Para o carnaval de 2019, a ala de dança do bloco que conquistou o coração de BH ganhará novos integrantes pra lá de especiais, os deficientes auditivos. Com direito a performance de dança interpretada em libras, os surdos terão um lugarzinho especial para curtir o desfile e cair na folia.Comandado pelo coreógrafo Cristiano Ribeiro, a ideia do projeto nasceu através de um vídeo do tradutor de libras, Virgílio Soares, que viralizou na internet. O trabalho do intérprete brasiliense sensibilizou não só os internautas como o professor de dança, que logo pensou na iniciativa como um possível trabalho a ser levado para o Baianas Ozadas.

E não deu outra! Sem antes terminar de apresentar, a proposta foi aceita pela produção do bloco e já faz parte da programação de 2019. É que em todos os sábados, que antecipam o carnaval, a ala estará reunida para ensaiar, em libras, a coreografia de apresentação.”Nós tivemos um primeiro encontro de ensaios na semana passada e foi gratificante pra mim, como idealizador do Baianas Ozadas, ver um projeto tão legal como esse sendo muito bem recebido pelo público. Ano passado nós fechamos uma parceria com a Apae e também fizemos uma ala inclusiva que foi linda. Então eu acredito que carnaval é isso mesmo, uma festa democrática! E nós, enquanto representantes da tradição desse carnaval de BH, temos sim que promover a inclusão e usar a folia como tema de mudança social”, explica Geo Cardoso sobre a importância do projeto.

Como não poderia ser diferente, “Toda Menina Baiana” de Gilberto Gil, foi a música escolhida para a apresentação da ala. A faixa representa o sincretismo da Bahia em uma letra que fala da tolerância e compreensão das nossas virtudes e defeitos. Um encaixe perfeito que fortalece ainda mais a mensagem defendida pelo projeto.

No dia do desfile, os surdos não só terão um momento especial para apresentar sua performasse da canção em libras, como também poderá sentir, em todo o trajeto do bloco, a vibração pulsante da banda e bateria do Baianas Ozadas que não deixam o corpo ficar parado.

Adicionar Comentários

Clique para comentar